Santos

Aparições de Nossa Senhora de Fátima que encantaram o mundo

aparicoes de nossa senhora de fatima

As aparições de Nossa Senhora de Fátima, Portugal são consideradas como sendo as mais proféticas dos últimos tempos, anunciando grandes castigos mas, também, grandes meios de salvação.

Na época das aparições de Nossa Senhora de Fátima, a Europa estava afundada na Primeira Guerra Mundial e a Igreja Católica de Portugal enfrentava uma crise após o país se tornar uma república, em 1910. Assim, o governo introduziu leis anticlericais, como a proibição de ensino religioso nas escolas. Padres e bispos foram exilados.

Quem é o seu Anjo da Guarda? Descubra gratuitamente

Os anjos da guarda são seres divinos designados a nos guardar e proteger de todos os males que a vida terrena pode nos oferecer.


Acreditamos que eles foram criados para serem um intermédio entre os humanos e o divino.

SABER O MEU »

Segundo a Igreja, as aparições de Nossa Senhora de Fátima são evidências da mensagem profética da santa o relato de segredos sobre a Segunda Guerra Mundial, os perigos do comunismo soviético e a perseguição ao Papa e ao cristianismo. Mas ao mesmo tempo, indicam os meios de salvação, visto que destacam: a recitação do Rosário, a prática dos Cinco Primeiros Sábados, a devoção ao Imaculado Coração de Maria.

As aparições de Nossa Senhora de Fátima

Em 1917, três pastorinhos — os irmãos Francisco e Jacinta Marto e a prima deles, Lúcia dos Santos, todos entre 7 e 10 anos à época — disseram ter visto seis vezes Nossa Senhora: no dia 13 de cada mês, de maio até outubro. Nas aparições, a Virgem Santíssima falou apenas com Lúcia, Jacinta só ouvia o que ela dizia e Francisco não a ouvia, mas apenas via. Naquele ano, eles contaram que a santa pediu para rezarem o terço e fazer penitências. Jacinta e Francisco morreram de gripe espanhola dois anos depois das aparições, e Lúcia se tornou freira.

Segundo a versão da irmã Lúcia, a Virgem lhes passou uma mensagem que deviam manter em segredo, mas da qual o papa Pio XII revelou publicamente duas partes em 1942. O primeiro segredo se referia a uma “visão do inferno” para denunciar o ateísmo e as perseguições contra a Igreja. O segundo evocava “uma guerra ainda pior” à que estava ocorrendo em 1917, e pedia a penitência dos cristãos e a “conversão da Rússia”, na época atingida pela revolução bolchevique.

O terceiro segredo, revelado pelo Vaticano em 2000, continha uma visão, julgada profética, do atentado lançado contra João Paulo II na praça de São Pedro de Roma, em 13 de maio de 1981.

Ao todo foram seis aparições de Nossa Senhora de Fátima, vamos conhecê-las melhor?

1ª aparição

Em 13 de maio de 1917. Lúcia, Francisco e Jacinta, após a Missa na igreja de Aljustrel, lugarejo de Fátima, foram pastorear o rebanho de ovelhas nas terras do pai de Lúcia, na Cova da Iria.

Foi quando que após um relâmpago, num céu luminoso, sobre uma carrasqueira apareceu-lhes a Mãe de Deus. Segundo as descrições da Irmã Lúcia, era “uma Senhora vestida toda de branco, mais brilhante que o sol, espargindo luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente”.

Nesta primeira aparição, Nossa Senhora pede aos 3 pastorinhos que venham seis meses seguidos, no dia 13, à mesma hora. E diz que ainda viria uma sétima vez.

Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que Ele quiser enviar-vos, em ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido, e de suplica pela conversão dos pecadores?

À resposta afirmativa das crianças, Ela acrescentou: “Ides, pois, ter muito que sofrer, mas a graça de Deus será o vosso conforto”.

Passados os primeiros momentos, Nossa Senhora acrescentou: Rezem o Terço todos os dias para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra”. E Nossa Senhora se elevou serenamente, subindo em direção ao nascente, até desaparecer no céu.

Conheça as orações de Nossa Senhora de Fátima.

2ª aparição

A segunda aparição de Nossa Senhora de Fátima ocorreu em 13 de junho e contou com a presença de 50 pessoas na Cova da Iria, além dos 3 pastorinhos que viram de novo o reflexo da luz (a que chamavam relâmpago) que se aproximou Nossa Senhora queria que voltassem no próximo dia 13, que rezassem o Terço todos os dias e aprendessem a ler. Lúcia pede para que Ela os leve para o Céu. “Sim, à Jacinta e ao Francisco levo-os em breve. Mas tu ficas cá mais algum tempo. Jesus quer servir-se de ti para Me fazer conhecer e amar. Ele quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração. A quem a abraçar, prometo a salvação; e serão queridas de Deus estas almas, como flores postas por Mim a adornar o seu trono”.

A Virgem conforta Lúcia, dizendo que nunca a deixará:

O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus.

De novo, abriu as mãos e na palma da mão direita de Maria estava um Coração cercado de espinhos que pareciam estar nele cravados. Era o Imaculado Coração de Maria ultrajado pelos pecados da humanidade. Aos poucos essa visão se esvaeceu diante das vistas enlevadas dos três pastorinhos. E Nossa Senhora, resplandescente de luz, subiu suavemente para o leste, até desaparecer.

Conheça as principais igrejas de Nossa Senhora de Fátima.

3ª aparição

Em 13 de julho de 1917, Nossa Senhora de Fátima mostrou aos três pastorinhos Lúcia, Francisco e Jacinta, na Cova da Iria (Portugal), uma visão do inferno que mostra as trágicas consequências que traz a falta de arrependimento e o que espera no mundo invisível pelos que não se convertem. Esta visão, mostrada na terceira aparição de Fátima, forneceu aos pequenos um segredo em três partes. Na primeira parte do segredo, na qual o inferno foi mostrado, Nossa Senhora deu às crianças uma maneira de ajudar os outros para que não se condenem:

Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes e em especial quando fizerdes alguns sacrifícios: ‘Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria’.

Além da visão do inferno de 13 de julho de 1917, a mensagem da Virgem de Fátima indica que se deve rezar o Terço todos os dias, fazer sacrifícios e rezar pelos pecadores, praticar a devoção dos cinco primeiros sábados do mês em honra ao Imaculado Coração de Maria e a consagração pessoal também ao seu Imaculado Coração.

4ª aparição

Às vésperas do dia 15 de agosto os 3 pastorinhos foram mantidos por 3 dias sob vigilância pelo Administrador de Ourém, que lhes desejava arrancar os segredos a eles confiados. Assim, não puderam comparecer à Cova da Iria, no dia 13 de agosto. Alguns dos presentes, no local, testemunharam ter ocorrido o trovão, o relâmpago e o surgimento da pequena nuvem, leve, branca e bonita. E que, depois, subiu e desapareceu no céu.

Libertos e estando, em 15 de agosto, a pastorear em Valinhos, Lúcia e Jacinto sentiram algo sobrenatural que os envolvia e mandaram que João, irmão de Jacinta, fosse chamá-la. Lúcia e Francisco viram o reflexo da luz como um relâmpago e, chegada a Jacinta, logo, Nossa Senhora apareceu sobre a carrasqueira. Ela queria que viessem no próximo dia 13 e que rezassem o Terço todos os dias.

“No último mês farei o milagre para que todos acreditem.” prometeu a Virgem. Mandou que fossem feitos dois andores para a festa de Nossa Senhora do Rosário com o dinheiro deixado pelo povo na Cova da Iria. O restante seria usado para ajudar na capela que mandariam fazer. E, tomando um aspecto mais triste, acrescentou:

Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios pelos pecadores, que vão muitas almas para o Inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas.

5ª aparição

Em 13 de setembro, ocorreu a quinta aparição de Nossa Senhora de Fátima, e contou com a presença de 15 a 20 mil pessoas. Todos queriam ver, falar e fazer pedidos às crianças para que apresentassem à Virgem. Junto à carrasqueira, começaram a rezar o Terço com o povo, até que num reflexo de luz Nossa Senhora apareceu.

Continuem a rezar o Terço para alcançarem o fim da guerra. Em outubro virá também Nosso Senhor, Nossa Senhora das Dores e do Carmo, São José com o Menino Jesus, para abençoarem o mundo. Deus está contente com os vossos sacrifícios, mas não quer que durmais com a corda [cilício], trazei-a só durante o dia.

6ª aparição

A sexta e última da lista de aparições de Nossa Senhora de Fátima ocorreu em 13 de outubro de 1917, já era o outono. Uma chuva persistente e forte transformara a Cova da Iria num lamaçal e encharcava a multidão de 50 a 70 mil peregrinos, vindos de todos os cantos de Portugal. Assim que as crianças chegaram, Lúcia pediu que fechassem os guarda-chuvas para rezarem o Terço. E, pouco depois, houve o reflexo de luz e Nossa Senhora apareceu sobre a carrasqueira.

Quero dizer-te que façam aqui uma capela em minha honra, que sou a Senhora do Rosário, que continuem sempre a rezar o Terço todos os dias. A guerra vai acabar e os militares voltarão em breve para suas casas.

Ao pedido de cura para uns doentes e conversão para alguns pecadores, Nossa Senhora respondeu:

Uns sim, outros não. É preciso que se emendem, que peçam perdão dos seus pecados.

E tomando um aspecto triste, acrescentou:

Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor que já está muito ofendido.

E, abrindo as mãos, fê-las refletir no sol, e enquanto Se elevava, continuava o reflexo da sua própria luz a projetar-se no sol

Visões de cenas simbolizando os Mistérios gozosos, dolorosos e gloriosos do Rosário

Chovera durante toda a aparição. Lúcia, no término de seu colóquio com Nossa Senhora, gritara para o povo: “Olhem para o sol!” Rasgam-se as nuvens, e o sol aparece como um imenso disco de prata. Apesar de seu intenso brilho, pode ser olhado diretamente sem ferir a vista. As pessoas o contemplam absortas quando, de súbito, o sol gira rapidamente como uma gigantesca roda de fogo. Muitos rezam em voz alta o ato de contrição. Pouco a pouco, o sol começa a se elevar traçando o mesmo ziguezague, até o ponto do horizonte de onde havia descido. Torna-se então impossível fitá-lo. É novamente o sol normal de todos os dias. O ciclo das visões de Fátima estava encerrado.

Os prodígios haviam durado cerca de 10 minutos. Todos se entreolhavam perturbados. Depois, a alegria explodiu: “O milagre! As crianças tinham razão!” Os gritos de entusiasmo ecoavam pelas colinas adjacentes, e muitos notavam que sua roupa, encharcada alguns minutos antes, estava completamente seca. O milagre do sol pôde ser observado a uma distância de até 40 quilômetros do local das aparições.

Turismo religioso no Santuário de Fátima: dicas para aproveitar a visita.

Você sabia?

Um dos milagres que levarão os pastorinhos de Fátima aos altares da Igreja foi a recuperação do menino brasileiro Lucas. Segundo seus pais, João Batista e Lucila Yurie, o filho bateu com a cabeça no chão e teve um traumatismo craniano grave, com perda de tecido cerebral no lóbulo frontal esquerdo, Lucas foi internado em coma muito grave, sofrendo duas paradas cardíacas. Os médicos não acreditavam que ele poderia sobreviver. “Começamos a rezar a Jesus e a Nossa Senhora de Fátima, a quem temos muita devoção. No dia seguinte ligamos para o Carmelo de Campo Mourão, pedindo que as irmãs rezassem pelo Lucas. A irmã que atendeu o telefone não deu o recado no momento, apenas no dia seguinte. Uma irmã correu para as relíquias dos Beatos Francisco e Jacinta, que estavam junto do Sacrário e sentiu esse impulso de oração: ‘Pastorinhos, salvem esse menino, que é uma criança como vocês’”, narrou Lucila.

E toda a Comunidade começou a rezar apenas com a intercessão dos Pastorinhos. “Assim fizeram. Da mesma forma como todos nós, na família, começamos a rezar aos Pastorinhos e, dois dias depois, no dia 9 de março o Lucas foi desentubado e acordou bem, lúcido, e começou a falar, perguntado pela sua irmãzinha. No dia 11 de março saiu da UTI e dia 15 ele teve alta e nenhuma sequela”.

COMPARTILHE