Religião Católica

O Primeiro papa da história: descubra quem foi e como assumiu o cargo

Primeiro papa da históriaPrimeiro papa da história

Figura de bondade e liderança, há mais de dois mil anos, os Papas são considerados a autoridade máxima da Igreja Católica Apostólica Romana. Você sabe como surgiu esta tradição? Qual o seu real significado? Quem foi o Primeiro Papa da história?
Confira esta e outras curiosidades abaixo.

O primeiro papa da História

A função de Papa surgiu ainda nos primeiros anos do Cristianismo, quando os seguidores de Cristo viviam em harmonia, compartilhando o pão entre si. Ele seria o responsável para guiar seu povo após o Pentecostes.

Quem é o seu Anjo da Guarda? Descubra gratuitamente

Os anjos da guarda são seres divinos designados a nos guardar e proteger de todos os males que a vida terrena pode nos oferecer.


Acreditamos que eles foram criados para serem um intermédio entre os humanos e o divino.

SABER O MEU »

Nesta época, embora os cristãos fossem orientados pelos 12 apóstolos (Matias foi eleito como substituto de Judas o Iscariotes), coube a Pedro a missão de líder.

Graças a escrituras, sabemos que Pedro era Hebreu, um pescador nascido na região da Galiléia que, ao lado de seu irmão, André, foi um dos doze apóstolos escolhidos para serem ensinados por Cristo.

O Líder da Igreja: “Pedro, tu és pedra”

O Primeiro Papa acompanhou Jesus durante todo o seu ministério, de modo que tua liderança foi imposta pelo próprio Cristo durante uma passagem do Evangelho de Mateus:

“E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.
Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;
E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”. Mateus 16:17-19
Ele também é conhecido como o apóstolo que negou a Jesus Cristo. Em Lucas 22: 54-60, vemos a consumação de uma previsão feita por Jesus Cristo durante a última ceia, que dizia que mesmo com toda a lealdade expressada pelos apóstolos, no momento de sua prisão ele seria abandonado. Pedro, que era um dos mais fiéis discípulos, contesta a Jesus, que então responde: ‘antes que o galo cante, tu negarás a mim três vezes’.

Para os católicos, esta é uma passagem importante da vida do Primeiro Papa, pois, após a negação e o arrependimento, Pedro teria de fato se convertido, de modo que o espírito santo passa a habitá-lo em perfeita comunhão.

Após a ressurreição de Cristo, a chegada do Pentecostes e o seu retorno aos céus, tanto Pedro, quanto os demais apóstolos passaram a ter uma importante função de liderança entre os cristãos. Eram eles que guiavam os novos fiéis na fé e os ensinavam sobre a vida de Jesus.

Com a propagação dos Cristãos pela Terra, Pedro teria continuado a exercer a autoridade sobre todos os bispos e líderes da igreja, a princípio na região a Antioquia, onde hoje está localizada a Turquia e posteriormente em Roma.

Centro cultural, político e econômico do ocidente na época, Roma era uma cidade marcada pela passagem de pessoas do mundo inteiro e o estabelecimento de Pedro e Paulo na região foi imprescindível para a formação da Igreja Católica.

A morte do Primeiro Papa

Ser cristão durante os primeiros anos da igreja não era nada fácil. A religião era proibida em todos os territórios de Roma e a pena para aqueles que seguiam a Cristo era a morte. Assim, como Primeiro Papa, Pedro também foi uma importante figura de resistência para a fé. Ao longo dos seus quase setenta anos de ministério, foi perseguido, preso, exilado e condenado a morte. Entretanto, nunca deixou que as adversidades abalassem sua fé.

O historiador John Foxe relata no “Livro dos Martires” que graças as suas pregações, Pedro foi um dos principais adversários políticos de Nero, Imperador Romano que comandou um dos maiores massacres a Cristãos da história. Ele conta que, por volta do ano 66 d.C, Nero mandou que prendessem Pedro e o acusassem de pregar sobre um falso Deus:

Nero procurava fatos contra Pedro para condená-lo à morte. Quando o povo percebeu isso, rogaram a Pedro, com muita insistência, para que ele fugisse da cidade. Pedro no fim foi persuadido pelos importunos pedidos e preparou-se para a fuga.

Ele complementa que durante a fuga, Pedro teria visto a Jesus:

Porém, ao chegar ao portão da cidade, viu o Senhor Jesus Cristo vindo ao seu encontro, a quem Pedro, adorando, disse: — Senhor, para onde vais tu? — Ao que Ele respondeu dizendo: — Estou voltando para ser crucificado. — Assim Pedro, percebendo que com essas palavras o Senhor se referia ao martírio do qual ele estava fugindo, voltou para a cidade.

Embora não seja mencionado na Bíblia, escritos de São Jerônimo dizem que o Primeiro Papa foi crucificado, com a cabeça para baixo e os pés para o alto a pedido dele mesmo, tornando-se um dos primeiros mártires da Igreja. De acordo com São Jerônimo:

Pedro sentia que era indigno de ser crucificado do mesmo modo e jeito como o fora o Senhor.

A ilustração de São Pedro sendo crucificado de cabeça para baixo tornou-se uma das primeiras imagens de um mártir da Igreja Católica e sua reprodução é frequente na arte Sacra.

Sucessão do primeiro papa da História

Após sua morte, Pedro foi sucedido por São Lino, seu discípulo a quem encarregou a liderança da congregação de Roma. Esta sucessão deu início ao que a Igreja Considera de “Governo Episcopal”, um sistema hierárquico que dá ao Papa a autoridade e governança sobre a igreja. A partir dele os Papas passaram a ser eleitos por um conselho de Bispos guiados por Deus.

Atualmente a Igreja Católica é liderada por Francisco, o 265º sucessor de São Pedro.

 

COMPARTILHE