Santos

São Valentim: tudo sobre o santo padroeiro dos apaixonados

sao valentimsão Valentim

Em fevereiro é o dia associado à morte de São Valentim. Pouco é conhecido efetivamente sobre sua vida, sendo que podemos encontrar diversas versões diferentes sobre sua existência.

História de São Valentim

A partir do século XIV, Valentim ficou associado ao amor romântico entre casais. No século XIV surgiram várias lendas sobre a vida de São Valentim. Algumas dizem que ele foi preso porque apoiava casamentos cristãos quando o Cristianismo era perseguido pelo império romano. Outra lenda diz que ele curou a cegueira de uma jovem pela qual se apaixonou.

Quem é o seu Anjo da Guarda? Descubra gratuitamente

Os anjos da guarda são seres divinos designados a nos guardar e proteger de todos os males que a vida terrena pode nos oferecer.


Acreditamos que eles foram criados para serem um intermédio entre os humanos e o divino.

SABER O MEU »

Dua versões da história

Entretanto, uma das versões mais aceitas é a que data do século III, quando em Roma, Valentim, era um sacerdote e o imperador era Cláudio II, o Gótico. O Império enfrentava muitos problemas, com inúmeras batalhas perdidas. O imperador então proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objetivo de formar um grande e poderoso exército, pois acreditava que os jovens, que não tivessem família, ou esposa, iam alistar-se com maior facilidade.

No entanto, Valentim continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador, mas com as cerimônias realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte.

Final triste

Durante sua prisão, Valentim teria feito um milagre, fontes consultadas citam que o milagre teria sido realizado na filha de um carcereiro enquanto outras fontes afirmam ser a filha de um prefeito local, que era cega e, ao visitar Valentim, teria sido curada, mas também os dois acabaram apaixonando-se, aqui não há precisão nos relatos. Valentim chegou até a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim, depois da condenação de morte, foi decapitado em 14 de fevereiro de 269 ou 270.

No século V, o Papa Gelásio I acolheu as lendas existentes sobre o mártir casamenteiro, canonizando-o. Em decreto papal de então, estava escrito que “São Valentim é venerado pelos homens, mas as suas ações, só Deus conhece”. No entanto, em 1969, a Igreja Católica deixou de celebrar esta festa, quer por falta de dados mais concretos das histórias de santidade de Valentim, quer por questionar a sua própria existência.

Duas pessoas diferentes?

Valentim poderia ter sido dois homens diferentes: um texto da Igreja Católica, a partir do ano 1400, descreve São Valentim como um sacerdote que foi decapitado perto de Roma pelo imperador Claudius II por casar cristãos. Outro texto afirma que Valentim era o bispo de Terni, também martirizado por Claudius II fora de Roma.

Infelizmente não há mais relatos sobre o santo, portanto fica a dúvida.

‘Seja meu Valentim’

Durante a Idade Média, Valentim foi um dos santos mais populares na Inglaterra e na França, surgindo assim certas tradições como os cartões de amor. Vários países adaptaram este dia como feriado. É o caso da Inglaterrra desde o século VII e dos Estados Unidos desde 1700.

No dia de São Valentim, os apaixonados enviam cartas e presentes ao seu amor pedindo: ?seja meu Valentim’ ( em inglês: Be my Valentine).

Dia de São Valentim

O santo é comemorado no dia 14 de fevereiro nos países europeus e na América do Norte.

Qual a conexão do Santo com o dia dos namorados?

O Dia dos Namorados pode ter sido inventado por um poeta: não há registro de celebrações românticas no Dia dos Namorados antes de um poema do poeta medieval inglês Geoffrey Chaucer, escrito por volta de 1375.

Em um dos versos,  Geoffey diz:

Porque isso foi no Dia de São Valentim, quando cada pássaro vem escolher a sua companheira.

Mas a data não é muito celebrada no Brasil.

Teoria sobre a celebração

Outros relatos apontam que as raízes do dia dos namorados remontam à Roma Antiga e à Lupercália, festa em homenagem a Juno, deusa associada à fertilidade e ao casamento. Neste festival, celebrava-se a fertilidade. A celebração decorreu durante cerca de 800 anos, em Fevereiro, até que em 496 d.c., o Papa Gelásio I decidiu instituir o dia 14 como o dia de Valentim, para que a celebração cristã absorvesse o paganismo da data.

O simbolismo da data

O dia dos namorados é hoje muito associado com a troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa. Estima-se que, mundo afora, aproximadamente um bilhão de cartões com mensagens românticas são mandados a cada ano..

Conheça a história de outros famosos santos.

Curiosidades sobre São Valentim

A informação mais antiga de Valentim (175-273) está num documento oficial da Igreja dos séculos VI-VII, em que aparece o aniversário da sua morte. No século VIII, outro documento narra alguns detalhes do martírio: a tortura, a decapitação noturna e a sepultura. Outros textos do século VI referem que São Valentim, cidadão e primeiro bispo da cidade italiana de Terni, tornado célebre pela santidade da sua vida, caridade e humildade, pelo apostolado zeloso e pelos milagres, foi convidado a ir a Roma por Cratone, orador grego e latino, para que curasse o filho doente há alguns anos. Curado o jovem, converteu-o ao cristianismo, juntamente com a família e o filho do prefeito.

Preso sob o imperador Aureliano, foi morto a 14 de fevereiro de 273. O seu corpo foi enterrado às pressas num cemitério a céu aberto, a pouca distância de Roma, para evitar sublevações por parte dos cristãos. Três discípulos exumaram o corpo poucas noites após a execução e levaram-no para Terni, então denominada Interamna, 100 km a norte de Roma e deram-lhe sepultura digna da veneração que lhe era dedicada pelos cristãos.

Seu crânio pode ser visto em Roma: está em exibição na Basílica de Santa Maria em Cosmedin, em Roma. Seu esqueleto foi encontrado em uma escavação, no início dos anos 1800.

Santo Padroeiro

Valentim é o santo padroeiro dos apicultores e da epilepsia, entre muitas outras coisas: é-lhe pedido que vigie as vidas dos amantes, mas também para as intervenções relacionadas com a apicultura e a epilepsia, bem como a praga , desmaio e viagem.

COMPARTILHE