Religião Católica

Símbolos da Páscoa: Conheça a origem e o que cada um representa

Símbolos da PáscoaSímbolos da Páscoa

Considerada como um fundamento da fé Cristã, a Páscoa é o período em que os Católicos celebram a morte e ressurreição de Jesus Cristo, filho de Deus, que venceu o pecado e trouxe a salvação. Entre comidas típicas, costumes e crenças, os símbolos da Páscoa envolvem uma série de tradições. Confira abaixo as principais.

História e significado da Páscoa – um plano perfeito

A palavra Páscoa tem sua origem na palavra pesach, cujo significado é passagem, termo utilizado em celebrações do povo de Deus que precedem até mesmo a vinda de Jesus Cristo.

Quem é o seu Anjo da Guarda? Descubra gratuitamente

Os anjos da guarda são seres divinos designados a nos guardar e proteger de todos os males que a vida terrena pode nos oferecer.


Acreditamos que eles foram criados para serem um intermédio entre os humanos e o divino.

SABER O MEU »

Até a crucificação, a Páscoa era uma festa para celebrar a libertação do povo judeu por Moisés no Egito, com duração de aproximadamente um mês, em que o povo se dirigia à Jerusalém para uma série de cerimônias religiosas. Assim como o profeta libertou os judeus da opressão egípcia, a morte de Jesus marca uma nova “passagem” ao povo de Deus, eliminando o pecado e os reconectando à salvação.

A partir disto, é compreensível que a morte e ressurreição tenham acontecido em um período tão importante. Se trata de um plano perfeito que é referenciado em toda a bíblia:

Este dia terá de servir-vos de recordação e tereis de celebrá-lo como festividade a Jeová.

— Êxodo. 12:14.

Já no Novo Testamento, é possível encontrar Símbolos da Páscoa desde o Nascimento de Jesus, no Livro de Matheus, até as revelações do apóstolo João, no Livro de Apocalipse. Entretanto, aqueles que desejam um estudo mais aprofundado poderão encontra-lo a partir dos capítulos 26 de Matheus; 13 de Marcos, 22 de Lucas e 14 de João.

Quando a Páscoa é comemorada?

Diferentemente do Natal, a Páscoa não possui uma data fixa para celebração. No cristianismo ocidental, a Páscoa procede a Quaresma, um período purificação com jejuns e penitências que começa na Quarta-Feira de Cinzas e dura quarenta dias (sem contar os domingos). A semana antes da Páscoa, conhecida como Semana Santa, é muito especial na tradição cristã. O domingo anterior é o Domingo de Ramos. Os três dias antes da Páscoa, conhecidos como Tríduo Pascal, são a Quinta e a Sexta-Feira Santa mais o Sábado de Aleluia.

Muitas igrejas começam a celebrar a Páscoa no fim da noite do Sábado de Aleluia na chamada Vigília Pascal. Em alguns países, a Páscoa dura dois dias, com a adição da chamada “Segunda-Feira de Páscoa“.

Estas datas também são consideradas como Símbolos da Páscoa, sendo que semana começando com o Domingo de Páscoa é chamada de Semana de Páscoa (ou Oitava da Páscoa) e cada dia é sucedido pelo sufixo “pascal” (ou “da Páscoa“). O Sábado de Páscoa é, portanto, o sábado depois do Domingo de Páscoa (e não o Sábado de Aleluia, antes dele). A Época da Páscoa começa no domingo e vai até o Domingo de Pentecostes, sete semanas depois.

Em 2019, a Páscoa será comemorada no dia 21 de abril.

Os principais Símbolos da Páscoa

Ao longo dos séculos, a Igreja adotou diversos simbolismos para marcar a celebração. A função deles é a personificação de valores que deverão ser transmitidos entre os cristãos, como o amor ao próximo, a fertilidade, o sacrifício divino, entre outros.

O Coelho da páscoa

coelho da páscoa, Símbolos da Páscoa

Muito comum nos países de colonização saxã, o Coelho da Páscoa representa a fertilidade e a nova vida. Ele simboliza tanto a ressurreição de Jesus Cristo, quanto a proliferação de sua palavra pela igreja que tem como missão o alcance e conversão de novos fiéis. Em algumas regiões, ele também pode ser chamado de Hunsrückisch.

A relação do coelho com os Ovos de Páscoa

ovos de páscoa, Símbolos da Páscoa

Na Alemanha existe a lenda de que uma mulher pobre coloriu alguns ovos de galinha e os escondeu, para dá-los a seus filhos como presente de Páscoa. Quando as crianças descobriram os ovos, um coelho passou correndo. Espalhou-se, então, a história de que o coelho é que havia trazido os ovos. Desde então, os alemães passaram a contar para as crianças que os ovos de páscoa eram trazidos por coelhos.

A tradição original consistia numa espécie de brincadeira, em que os adultos coloriam ovos e os escondiam para que os pequeninos saíssem à procura no domingo de Páscoa. Entretanto, em alguns países como a Bélgica e França, convencionou-se que ao invés da decoração de ovos de galinha, as crianças deveriam ser presenteadas com ovos de chocolate.

A lenda também conta que os ovos trazidos teriam caído de Sinos, uma espécie de pássaro em extinção, que voam para Roma durante as celebrações.

Cordeiro

Além do Coelho e do Sino, outro animal recorrente nos símbolos da Páscoa é o cordeiro. Sua importância remete aos costumes judaicos do antigo testamento, quando o pai da fé, Abraão, deu início ao sacrifício de cordeiros para purificação do templo, o animal seria ofertado a Deus em troca do perdão aos pecados.

O Novo Testamento nos conta que, assim como o cordeiro que é um animal puro e que não se opõe à morte, Jesus deu a própria vida em sacrifício para que tivéssemos nossos pecados perdoados para sempre. A morte de Jesus também marca o fim desta prática de holocausto pelos cristãos.

Círio Pascal

Outro item importante para a celebração da Páscoa é o Círio Pascal, uma vela branca que representa a Luz de Cristo ao mundo e que deve ser utilizada na liturgia das missas de celebração. Um novo Círio Pascal é aceso a cada ano e usado durante o Tempo Pascal, período de cinquenta dias após o Domingo de Páscoa e que marca a chegada do Pentecostes. Dependendo da tradição, esta vela também pode ser utilizada em batismos e funerais.

Colomba Pascal

Os símbolos da Páscoa não se resumem ao simbolismo de animais ou ritos, mas também envolvem comida. Entre os mais importantes, está a Colomba Pascal, um tipo de pão doce feito em formato de pomba para representar a paz de Deus entre os homens. Uma lenda conta que o Rei da Polônia, Lombardo Alboíno, preocupado com os conflitos das Guerras Góticas, no século VI, teria sido acalmado por um padeiro que o presenteou com a Colomba Pascal. Desde então, o doce é figura obrigatória nas comemorações de Páscoa da Europa.

Pão e vinho

Pão e vinho, Símbolos da Páscoa
Presentes na última Ceia, o Pão e Vinho foram utilizados por Jesus Cristo para simbolizar seu sacrifício aos discípulos. Além de utilizado em cerimônias religiosas, é muito comum que as famílias relembrem este sacrifício com a presença destes alimentos na mesa de Páscoa. O pão representa o corpo e o vinho, o sangue de Jesus.

Peixe

Uma das práticas consistentes da Quaresma é a abstinência ao consumo de carne vermelha entre os católicos. Esta prática representa a purificação, de modo que é muito comum que no Sábado de Páscoa as mesas tenham seus cardápios substituídos por pratos à base de peixe.

A escolha do peixe também é um símbolo de Páscoa que remete a um dos primeiros emblemas da igreja Cristã, no século I, no qual os seguidores de Jesus, até então perseguidos pelo império Romano, marcavam a parede de casas e outros locais seguros com a figura de um peixe. Este sinal é uma referência ao milagre da multiplicação realizado por Jesus, no livro de Matheus.

 

COMPARTILHE