Turismo religioso

Turismo religioso em Jerusalém: confira o que fazer pela cidade religiosa

Turismo religioso em Jerusalém

Considerada uma das nações mais antigas do mundo, Israel é repleta de locais que refletem os pilares da fé cristã e fazem do turismo religioso em Jerusalém, sua capital, uma tendência entre os devotos que buscam a combinação de roteiros históricos com momentos de fé e devoção. Confira abaixo dicas que transformarão a sua viagem em uma experiência inesquecível. Confira abaixo algumas dicas sobre Turismo religioso em Jerusalém!

Onde fica Jerusalém?

Quem é o seu Anjo da Guarda? Descubra gratuitamente

Os anjos da guarda são seres divinos designados a nos guardar e proteger de todos os males que a vida terrena pode nos oferecer.


Acreditamos que eles foram criados para serem um intermédio entre os humanos e o divino.

SABER O MEU »

Situada ao sul de um planalto da Judeia, região conhecida por sua geografia rodeada de montanhas e colinas, Jerusalém é dividida entre duas áreas: a “Cidade Velha”, onde estão localizados alguns dos principais marcos do cristianismo, e a “Grande Jerusalém”, que contempla influências multiculturais provenientes da ocupação islâmica e das incursões europeias a partir do século XI. Esta divisão decorre dos conflitos entre o povo judeu e árabes que ali habitaram até o término da diáspora em 1948.

Fique atento ao organizar sua viagem, pois não são todos os itinerários para turismo religioso em Jerusalém que contemplam paradas em ambas as regiões, restringindo o pacote apenas à “Cidade Velha”. Assim, procure se organizar para conferir todos os pontos da cidade.

Como chegar a Jerusalém

Embora a procura por pacotes de turismo religioso em Jerusalém seja uma tendência entre brasileiros, não há companhias que ofereçam voos diretos entre o Brasil e Israel. Assim, a melhor opção é optar por um trajeto que tenha conexão em Istambul, Paris ou Amsterdã, pois são estão situadas em países que não exigem visto para curta permanência.

Caso possua visto norte-americano, também é possível chegar à Israel por uma rota alternativa com parada em Nova York. Ideal para quem deseja estender um pouco mais a viagem e aproveitar pelo menos um dia na cidade americana.

Em Israel a maioria dos voos chega pelo Aeroporto Internacional Ben Gurion, na cidade de Lida, a cerca de trinta minutos de Jerusalém.

Atenção: mesmo sem a necessidade de visto para brasileiros, Israel exige a entrada de turistas com passaportes que tenham no mínimo seis meses de validade.

Turismo religioso em Jerusalém

Para quem está ansioso para conhecer a cidade velha e toda a história que ela carrega, abaixo listaremos alguns dos principais pontos turísticos da cidade. Confira!

Monte do templo e Muro das Lamentações

 

O Monte do templo é um dos pontos mais procurados por aqueles que visitam Jerusalém. Lá, está o último vestígio do Segundo Templo judeu – construído em 535 a.C e destruído pelo exército romano, em 66 d.C., como retaliação às revoltas civis -, o Muro das Lamentações e o “Domo da Rocha”, uma das mais importantes mesquitas do islamismo.

O local possui muitos significados, tanto para o judaísmo, quanto para os cristãos e árabes. Para os judeus, há o entendimento que é o local onde deve ser reconstruído um novo templo, cujo término marcará a chegada do Messias que libertará o povo judeu, restaurando a aliança com Deus.

O entendimento para o Cristianismo é parecido e decorre da profecia feita por Jesus Cristo no livro de Mateus, na qual previu a destruição do templo antigo indicando a separação do povo judeu e o regresso do Messias. Para muitos teólogos esta profecia foi confirmada em 66 d.C., com o ataque ao templo pelo Império Romano e a dispersão dos israelenses pelo mundo.

Neste período a área foi ocupada por árabes que construíram o “O Domo da Rocha” próximo ao local. Por conta da proximidade de tantos locais sagrados para religiões diferentes, é comum que o local esteja bloqueado por motivos de segurança, de modo que é importante verificar seu status com antecedência. O acesso também fica restrito em algumas épocas do ano, como o ramadã, por exemplo.

É comum que devotos visitem o que restou do templo para oferecer preces e gestos de fé em frente ao Muro das Lamentações, parte de uma muralha de pedra do Templo de Salomão que continua de pé em meio as mesquitas. Aqueles que visitam o local costumam deixar bilhetes com pedidos nos vincos entre os blocos de pedra do muro.

Via Dolorosa e Santo Sepulcro

 
 

Outro passeio obrigatório para quem faz turismo religioso em Jerusalém é a visitação dos locais por onde Jesus passou. Entre alguns dos mais tocantes está a Via Dolorosa, uma pequena rua da cidade antiga onde Jesus carregou a cruz. Ela tem origem na Porta de Santo Estevão, local onde o santo foi apedrejado por professar sua fé, e termina na Basílica do Santo Sepulcro, uma igreja onde acredita-se que o corpo de Jesus foi deixado e onde teria ressuscitado.

Construída por católicos em 335 d.C., a basílica esbanja uma beleza peculiar, que mistura traços da arquitetura romana com a arte ortodoxa do oriente. Ela também é considerada um marco para a boa convivência entre distintas denominações cristãs, tendo em vista que sua manutenção é realizada tanto pela Igreja Católica, quanto pela gestão da Igreja Ortodoxa.

A basílica do Santo Sepulcro abriga a Pedra da Unção que a tradição diz ser o local onde o corpo de Jesus foi preparado para o sepultamento por José de Arimateia e Nicodemos.

Monte Sião e Cenáculo

Ao lado da muralha da Cidade Velha está outro cenário importante para as histórias bíblicas: o Monte Sião. Conhecido pela beleza de sua vista, o local abriga locais importantes como o túmulo do Rei David, onde possivelmente teriam abrigado a Arca da Aliança antes da construção do Templo de Salomão; e a câmara dos holocaustos, na qual eram feitos os sacrifícios a Deus pelos judeus.

O Monte Sião também abriga o Cenáculo, local onde Jesus teria feito a última ceia com os doze discípulos. O prédio sobreviveu parcialmente a destruição da Cidade Velha pelos romanos, de modo que sua arquitetura impressiona pela combinação de áreas judaicas do século primeiro com traços do estilo gótico do século XV.

Além do turismo religioso em Jerusalém, o local também abriga o cemitério católico onde está enterrado Oscar Schindler um “justo entre as nações” que salvou mais de 1200 judeus durante o Holocausto.

Monte das Oliveira e Campo do Sangue

 

Ainda na Cidade Velha é possível visitar o Monte das Oliveiras, local sagrado no qual Jesus teria transmitido os ensinamentos presentes no livro de Atos. E o Campo do Sangue, local que se acredita ter sido comprado por sacerdotes judeus com o dinheiro devolvido por Judas Iscariotes após seu arrependimento.

Tour Guiado por Jerusalém

 

Para conhecer todos estes locais com calma, é recomendado que as viagens de turismo religioso em Jerusalém sejam feitas com a duração de no mínimo três dias, pois muitos destes locais exigem filas de espera e algum tempo para apreciação.

Se você prefere tours guiados, há excursões pela cidade sagrada  nos idiomas inglês e espanhol.

Mais dicas

Também se lembre de andar sempre com protetor solar, chapéus e um calçado confortável, pois muitas trilhas são feitas debaixo do Sol. É possível contratar guias que falam inglês nas ruas da cidade.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre o destino religioso? Confira outros 9 destinos religiosos mais procurados.

COMPARTILHE